Todos temos obrigações na vida. Há uma linha de pensamento que diz que tudo é escolha, e eu até concordo com isso, mas acredito que quando nós escolhemos um caminho, não necessariamente escolhemos todas as passadas que iremos dar. Então dentro das nossas opções, existem obrigações. Se você escolheu se formar em uma graduação, por exemplo, aquela disciplina que você não gosta é uma obrigação. Essa disciplina é uma obrigação dentro do caminho que você escolheu, deu pra entender meu ponto de vista?

Negligenciar essas obrigações dentro das nossas escolhas me parece uma grande armadilha. É importante sempre lembrar dos nossos propósitos, o porquê fizemos aquela escolha, para deixar essas obrigações menos amargas. Mas elas existem. Aceitemos.

Tenho pensado nisso, pois tenho algumas opções alimentares e de saúde que muitas vezes deixam a minha vida difícil. Se está tudo bem, eu consigo seguir minhas opções. Se não está, as coisas desandam. E isso tem me irritado bastante, pois parece que não me esforço o suficiente para as coisas andarem no trilho, que cedo com facilidade. E talvez essa angústia venha de uma linha de pensamento que vem sendo pregada que se as coisas não estão bem, é porque você está fazendo algo errado. Porque você não se esforça.

A questão é na vida, as coisas não dão certo sempre. Mesmo que você faça tudo do jeito como planejou. E como não aceitamos mais o conceito de obrigação, a frustração pelos problemas só pode ter uma causa, você. Parece que quanto mais opções temos, mais paralisados ficamos. Às vezes eu acho que a vida era mais simples quando eu era obrigada a fazer as coisas e acabou. Acredito que entre a opção conservadora e a liberal, sempre existe um meio termo mais saudável.

Então, um viva às obrigações das nossas escolhas!