Há algum tempo eu escrevi sobre as minhas angústias em relação ao cabelo. Você pode dar uma olhadinha aqui: Transição Capilar. Preciso atualizar a situação.

Minha transição capilar terminou. Em maio fiz meu “big choppinho”. Uso esse termo, pois meu cabelo ainda ficou médio após o corte. Agora sou oficialmente uma cacheada.

No começo de 2016, decidi usar minhas férias para me dedicar aos cuidados capilares. Assisti maratonas de vídeos no youtube, li várias resenhas sobre produtos e sim, eu aprendi a lidar com o meu cabelo, mesmo com duas texturas. Já estava bem bonito, mas depois do corte, ficou ótimo. Tirar aquela parte lisa deu movimento ao cabelo, os cachos ficaram mais definidos. Estou adorando usar o cabelo curto. Usar o cabelo curto é superar traumas do passado. Mesmo com o cabelo liso, nunca consegui usá-lo curto, por medo. Mas pra quem me disse que meu cabelo só iria ficar “bom” longo, pois se não tivesse peso ficaria armado, está aqui, meu cabelo sensacional! (Mas vale comentar que quando saí do salão de cabelo curto, não gostei nada dele).

Não me arrependo de ter alisado o cabelo, mas lamento de não ter descoberto como o meu cabelo era lindo antes. Sempre ouço comentários do tipo: “se meu cabelo fosse assim, eu deixava cacheado”. Eu mesma já disse isso várias vezes, antes da transição. Mas é esta a questão, eu não sabia que meu cabelo era assim. Nem minha mãe, nem eu sabíamos como cuidar do meu cabelo, então eu nunca soube que tinha cachos.

Tento me lembrar qual foi exatamente o motivo que me levou a desistir dos alisamentos, e para ser bem sincera, não sei. Não importa mais, o que importa é que estou aqui. Me sinto livre. Foi um período difícil, mas de muito autoconhecimento. Somente quem passa pela transição capilar pode entender o que estou falando, mas não é só cabelo. É todo um processo de aceitação, de amor por si próprio. Embora eu usasse o cabelo liso, eu sempre me sentia insegura, sempre achava que não estava bom. Mas agora me sinto tranquila. Mesmo nos dias em que o cabelo insiste em não ficar do jeito que eu quero. Assim é a vida, nem sempre é do jeito que esperamos. E nem por isso ela deixa de ser ótima.

Eu evito sugerir às pessoas que abandonem suas químicas, pois é um momento tão intenso, e sei que nem todo mundo tem o suporte necessário. Mas se você está, não desista. Vale muito a pena.