Estou na terceira aula de natação, e ainda não consigo nadar. Estou lindando bem com o ego, pois sei de pessoas que conseguiram nadar já no final da primeira aula. Mas cada história é uma história, as pessoas tem habilidades distintas, enfim, estou bem em relação à isso.

Estava tentando fazer um exercício que o professor indicou. Eu entendia o conceito, mas não conseguia executar. Mas não desistia, estava lá, usando a teimosia a meu favor.

Até que em um certo momento, quase no final da aula, pensei: “já que estou com tanto medo de me afogar, vou me soltar aqui e ver no que dá”. Continuei com a mão na borda, mas decidi deixar meu corpo flutuar. E aí, consegui fazer o exercício.

Quando decidi apenas me soltar na água, as coisas deram certo. E na hora pensei na vida. Em quantas vezes as coisas não dão certo porque a gente resiste. Resiste a mudanças, a entender que as pessoas são como são, a levar a vida do jeito que dá.

Toda vez que consigo fazer algo simples na água, eu fico rindo sozinha, e nessa hora eu ri. Por conseguir fazer o exercício, e por pensar na resistência que temos diariamente.

A natação está realmente me tirando da zona de conforto, emocionalmente e fisicamente.