Até 2014, eu era uma pessoa sedentária. Não porque eu não gostasse de esportes, mas porque eu não me lembrava que quando eu era pequena, eu adora jogar handebol e dançar. Mas devido às dificuldades que foram surgindo, eu decidi que era melhor não gostar de nada disso.

Até que eu conheci uma pessoa que praticava esportes com regularidade, o que por si só já foi uma inspiração. O esporte não era um hobbie comum no grupo que convivia. Além de me inspirar, quando eu comecei a correr, insistiu todos os dias para que eu não desistisse. Cuidou de mim todas as vezes que tive dor. Me acompanhou em corridas e viagens. Até correu comigo, mesmo sem gostar.

No fim do ano passado, por alguns problemas de saúde, comecei a fazer musculação. E mais uma vez ele estava lá, sem gostar, fazendo musculação comigo. Resmungando, mas sempre treinando comigo.

Ontem comecei aulas de natação. A natação traz dois grandes desafios para mim: o medo da água e o medo do julgamento do corpo. Por muitos anos não entrava no mar ou piscina porque eu não gostava. Mas eu não gostava porque me sentia insegura, porque tinha vergonha. E mais uma vez esse cara conseguiu me convencer que estava tudo bem, que ficar na água podia ser muito divertido e que meu corpo era lindo. E toda vez que tinha medo de me afogar, ele estava lá me segurando e me pedindo pra confiar nele. E ontem foi um dia muito importante, por estar vencendo essas duas barreiras. E mais uma vez, ele estava lá me apoiando. Tive até uma crise de riso, de tão boa a sensação.

Estou aqui para agradecer essa pessoa. Por me resgatar  de muitos problemas, inseguranças, medos e por acreditar em mim. Por insistir toda vez que quero desistir. Por brigar comigo quando é necessário. Por me mostrar o quanto é bom ter uma vida esportiva. Mas principalmente por ser um ótimo companheiro, um ótimo amigo. Obrigada Chuchu <3.