Começou dezembro, e fui verificar minhas metas de 2016. No meio do ano eu já tinha feito algumas correções, de metas muito genéricas ou incoerentes. Mas no último mês do ano, era só pra verificar o que não deu certo, e o porquê não deu certo.

Um dos principais porquês de eu não ter conseguido alcançar algumas metas foi colocar itens aleatórios. Coisas que eu queria fazer, porque sim. Sem um questionamento se eu realmente queria me dedicar àquilo. Quando eu quero fazer alguma coisa, eu sempre dou um jeito. Se meu planejamento nunca saiu do papel, se não cumpri nenhum dia daquilo que determinei, é porque não queria fazer mesmo. E preciso levar isso em consideração nesse momento, de pensar nas metas de 2017. Eu realmente quero fazer isso aqui, ou só está na lista porque são coisas que eu deveria fazer, ou é importante que eu faça?

Por exemplo, em nenhum lugar da minha lista está que eu queria me dedicar à corrida, algo que é fundamental na minha vida, e que sempre preciso deixar um espaço na agenda para esse fim. Mas estava lá: estudar espanhol. Porquê? Não tenho ideia. Não que seja algo fora de cogitação, mas talvez nesse momento, não fosse a ideia mais adequada.

Também estipulei alguns lugares para conhecer em 2016, e não fui em nenhum deles. Um pouco por fatores externos, já que as viagens ficaram muito caras, mas também porque quando coloquei esses lugares na lista, não pensei no quanto eu realmente queria conhecer esses locais a pontos de investir uma quantia alta para isso. Tudo tem um custo, pode ser financeiro ou de tempo. E quando colocamos um desejo lá, precisamos nos lembrar que precisamos despender de tempo e dinheiro para isso. (Além de paciência para organizar tudo, coisa que não tive muito esse ano).

Uma meta alcançada, mas que não teve um resultado tão bem sucedido, foi parar o anticoncepcional. Eu não quero entrar no mérito da questão, ainda estou tirando conclusões sobre esse assunto. Mas não foi uma boa opção, pelo menos não do modo como aconteceu. E me dediquei demais à essa meta, e fiquei sem um pingo de energia para as demais. Estou sentindo meu ritmo voltar ao normal, aos poucos.

Algumas das minhas metas envolviam outras pessoas, e esse ponto também dificultou que elas se cumprissem. Foi um ano muito intenso em relação à algumas pessoas da minha vida, e embora eu ache que tenha me saído até bem, diante de algumas circunstâncias, queria ter concluído essas metas.

Para as metas de 2017, se é que eu as terei, quero estipular algumas coisas básicas. Não incluir metas que incluam outras pessoas. Se a meta exigir investimento, pensar melhor se ela é uma meta ideal para aquele momento. Ser realista – pensar na vida que tenho e não na que quero ter. Estipular metas que eu realmente queira, e que saiba o porquê. Pegar leve. Tentar estipular tudo certinho não me ajudou em nada, só aumentou minha frustração.