Pela primeira vez, decidi escrever sobre ideias e metas que tenho para 2016. Não é algo definitivo, é mais um guia, caso eu me perca pelo meio do caminho (o que aconteceu muitas vezes em 2015).

A Tati, do Cabine literária (canal literário do Youtube) fez um vídeo em que ela calculava, em média, quantos livros poderíamos ler na vida. E já adianto que ela foi bem otimista nos cálculos. Você pode verificar qual é esse valor nesse link aqui: Quantos livros você vai ler na vida? A princípio, fiquei impactada, mas tudo bem. Mas depois que comecei a ler a saga O tempo e o vento, esse vídeo ecoou na minha mente.

Eu li bastante coisa em 2015, mas nem tudo de boa qualidade, principalmente no primeiro semestre. Eu gosto de ler livros de autoajuda, mas existem livros e livros. Li alguns bem ruins. E depois de começar a ler esse clássico da Literatura Brasileira, comecei a me questionar o porquê de eu estar perdendo tempo com essas leituras rasas, que não me acrescentaram em nada, enquanto podia estar lendo livros densos, com conteúdo e personagens bem trabalhados.

Decidi, então, seguir alguns projetos literários para 2016, afim de organizar melhor as leituras. Acho que deixar pra decidir o que iria ler na hora me deixava muito sem critério, e acaba pegando o que vinha pela frente, o que nem sempre era a melhor opção.  A seguir, as minhas linhas de leitura para 2016:

– Ler em Inglês: Eu tenho um Kindle, e ele será bem útil nessa empreitada, por ter um dicionário que me permite verificar as palavras que desconheço com maior facilidade. Eu leio bastante em Inglês, mas nunca Literatura, por achar difícil mesmo. Livros literários costumam ter um vocabulário mais requintado, e acho que vai ser bem bacana pra dar um upgrade no meu Inglês.

– Ler mulheres: Eu só li uma mulher em 2015. Uma. E durante a vida, acho que li pouquíssimas mulheres. E ao ler uma mulher esse ano, percebi que é um novo olhar, me deu maior identificação. Então, leremos mulheres esse ano.

– Ler latinos: Eu conheci o Roberto Bolaño, através de canais literários, e achei um olhar bem diferente do americano ou do europeu. Depois de ir pra Europa, em 2012, voltei com uma vontade enorme de conhecer a América Latina, de conhecer nossas raízes, nossa História. Depois de algumas viagens, decidi ler mais autores latinos, pra aprofundar meu conhecimento, além de treinar meu espanhol.

– Ler livros nacionais: Pelo mesmo motivo anterior, lerei mais nacionais. É muito triste passar a vida sabendo mais de outros países do que do seu.

– Ler Dom Quixote: Na última Festa do Livro da USP, comprei a edição bilíngue, em dois volumes do Dom Quixote. Fomos ao musical O homem de la Mancha, que foi uma das coisas mais lindas que já assisti, e que me despertou a vontade de ler o Dom Quixote. Um amigo colombiano também me recomendou a leitura. Mais uma oportunidade de treinar o espanhol.

– Ler a Bíblia: Como cristã, acho meio estranho ler tanta coisa e nunca ter lido a Bíblia toda. A minha ideia é ler mesmo, não estudar, porque isso demoraria muito mais que um ano.

– Priorizar os clássicos: Dentre as escolhas que farei durante o ano, pretendo optar mais por ler clássicos do que contemporâneos, porque preciso tirar o atraso.
Tomara que dê tudo certo nesse desafio, estou bem animada! E você, o que vai ler esse ano?