Sempre que comento que moro em frente a um shopping, as pessoas me olham maravilhadas, como se isso fosse a melhor coisa que pudesse acontecer na vida de alguém. E se surpreendem quando digo que quase não vou lá.

O shopping me dá uma sensação de opressão. O dono do capital nunca perde. Ele lucra com os preços altíssimos dos produtos e ganha com a exploração dos seus funcionários. Me dá uma tristeza quando vai chegando o fim de ano, e o shopping começa a ficar super lotado e aberto até tarde. E dá pra perceber uma cegueira coletiva dentro do sistema shopping.

As coisas são caras e de má qualidade. Depois de um curso que fiz, criei o hábito de olhar a etiqueta de todas as roupas, pra ver se o tecido está dentro das minhas expectativas, se o preço do produto vale o que ele é. E em 80% dos casos não vale. No caso das roupas, os tecidos são de péssima qualidade, vindos de muito sofrimento humano, na fabricação. E não estou falando só das fast-fashion não. Tem muita loja cara, de marca famosa, vendendo porcaria por aí. Preço alto não é sinônimo de qualidade, não se engane.

O atendimento, com poucas exceções, é ruim. E não é pra menos. Principalmente no final de ano, os funcionários são absurdamente explorados, trabalhando em escalas abusivas, com metas altíssimas. Essas metas costumam acarretar em um ambiente extremamente competitivo entre os funcionários, além do vendedor querer que você compre rápido e sem pensar coisas caras, e em grandes quantidades. E alguns deles não vão ter pudor de tentar te vender gato por lebre. E se ele não entra no sistema, é um ótimo candidato a ser mandado embora.

O shopping é um ambiente cuja finalidade é o consumo. Somente. Não tente argumentar que vai lá só pra passear. Se essa fosse a função do shopping, ele não seria uma fonte de tanto lucro. Em algum momento, você irá consumir.

E se você reparar na expressão das pessoas, você vai perceber como o clima é ruim. Em uma das últimas vezes que fomos lá, a vendedora nos deu boa tarde. Eram 21h. Ela não tinha nenhuma noção do horário. É um ambiente fechado, feito pra você não prestar atenção no tempo que está gastando lá. Que tristeza.

Nem sempre consigo, mas estou tentando comprar mais produtos artesanais, ou que não sejam dessas grandes corporações, pelo menos. Ou comprando produtos de segunda mão.
Pra mim é bem triste pensar que uma época que eu amo demais, é uma época de tanta exploração e tanto sofrimento pra algumas pessoas. Esse modelo não é mais sustentável. Não é.